SIMED-TO convoca Assembleia Geral em meio a impasse sobre Teto Remuneratório no Tocantins

O Sindicato dos Médicos do Tocantins (SIMED-TO) convoca filiados para Assembleia Geral Extraordinária para tratar do Teto Remuneratório Único dos servidores do Tocantins, que acontecerá dia 30 de outubro de 2023, às 18h, na Sede da Entidade, em Palmas.
19/10/2023 16/02/2024 10:11 829 visualizações

O Sindicato dos Médicos do Tocantins (SIMED-TO) convoca filiados para Assembleia Geral Extraordinária para tratar do Teto Remuneratório Único dos servidores do Tocantins, que acontecerá dia 30 de outubro de 2023, às 18h, na Sede da Entidade, em Palmas.

Após tentativas de diálogo infrutíferas com o Governo do Estado, em reunião conjunta ocorrida na Assembleia Legislativa do Estado na última terça-feira, 17/10, as categorias impactadas pelo teto resolveram que cada Entidade chamaria sua maior instituição de tomada de decisões para decidir estratégias de ação. No caso do SIMED-TO, uma Assembleia Geral Extraordinária foi publicada hoje, 19, em jornal de grande circulação, como um passo adicional na busca de uma solução para a questão do teto remuneratório.

O Dr. Reginaldo Abdalla Rosa, presidente do Sindicato dos Médicos, enfatizou a importância da reunião, afirmando que "é fundamental que os médicos e outros servidores públicos do Tocantins se unam para discutir estratégias e tomar medidas que busquem uma solução justa e equitativa para o teto remuneratório. A Assembleia Geral Extraordinária é um passo significativo nessa direção."

O Sindicato espera que a Assembleia permita que os servidores compartilhem suas preocupações e sugiram possíveis soluções para o impasse. Além disso, a grande reunião deve possibilitar o planejamento e discussão de estratégias para motivar o governo a rever sua posição e considerar mudanças no teto remuneratório.

O teto remuneratório, uma limitação legal que impede que servidores públicos recebam remunerações que ultrapassem o salário do Governador, que atualmente é de R$ 28.000,00. Os servidores, incluindo os médicos, alegam que a medida resulta em salários defasados, desmotivação e dificuldades para atrair e reter profissionais qualificados no serviço público.

A questão do teto remuneratório único no Tocantins continua sendo um tema sensível, mas o Sindicato dos Médicos e outros servidores estão determinados a buscar uma solução que atenda às necessidades de seus filiados e, ao mesmo tempo, garanta a eficiência e a qualidade dos serviços públicos no Estado.